Agro, ditadura e universidade: ESALQ-USP e a modernização conservadora (1964 a 1985)

R$64,00

ou em até 3x de R$21,33 sem juros.

Autor: Rodrigo Sarruge Molina
Apoios: Frente de Defesa da Democracia Luiz Hirata (Esalq-USP); Histedbr/Unicamp; Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

Versão Impressa

193 em estoque

Compre o E-book

Selecione uma plataforma
SKU: 978-65-88717-60-8 Categorias: , , ,

Descrição

SUMÁRIO
LISTA DE FIGURAS
LISTA DE SIGLAS

PREFÁCIO
José Luís Sanfelice

APRESENTAÇÃO
Dermeval Saviani
Olinda Maria Noronha

CONTEXTUALIZAÇÃO E AGRADECIMENTOS

INTRODUÇÃO

CONSIDERAÇÕES TEÓRICO-METODOLÓGICAS
1. Sobre as fontes primárias da investigação histórica

CAPÍTULO 1: O QUE É A ESALQ?
1. Breve histórico da centenária “Luiz de Queiroz”
2. A “Luiz de Queiroz” no século XXI
3. Quem são os esalquianos?
4. A gênese da escola: Luiz de Queiroz e o projeto coletivo, 1881 a 1892
5. A consolidação da estatal Esalq-USP no século XX

CAPÍTULO 2: O GOLPE CIVIL-MILITAR DE 1964 E A ESALQ
1. Os Estados Unidos na Esalq no contexto do golpe
2. A questão da terra: golpe, reforma agrária e tensão social
3. O “caso Marcomini”: um esalquiano perseguido antes do golpe
4. O golpe efetivado e a repressão contra os esalquianos
5. Hoffmann: o esalquiano encarcerado pelo golpe
6. O Centro Acadêmico “Luiz de Queiroz” e o golpe de 1964

CAPÍTULO 3: ESALQ, DITADURA E A MODERNIZAÇÃO CONSERVADORA DO CAMPO
1. O Sistema Nacional de Crédito Rural
2. A modernização fomentada pelo Estado
3. A alteração da base técnica dos meios de produção no campo e a exposição agroindustrial na Esalq

CAPÍTULO 4: O HERÓI LUIZ DE QUEIROZ VOLTA PARA PIRACICABA E RECEBE A VISITA DOS GENERAIS
1. 1964 e a “reinvenção” de um herói: Luiz de Queiroz volta para Piracicaba
2. “A turma do presidente”: quando Médici foi o paraninfo de 1971
3. O futuro presidente do Brasil na Esalq: a visita do general Ernesto Geisel em 1973

CAPÍTULO 5: UMA BASE DOS ESTADOS UNIDOS NA ESALQ: ACORDOS USP/USAID
1. De Ohio para Piracicaba
2. Agentes da Usaid em ação: compressão, intervenção e cooptação
2.1. Eva Wilson
2.2. Clyde Allison
2.3. Alvin I. Moxon
2.4. John I. Parsons
2.5. John Sitterley
2.6. Charles Triplehorn
2.7. Clair W. Young
2.8. Walter Harvey
3. Voltando para casa

CAPÍTULO 6: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO: A UNIVERSIDADE PÚBLICA FOMENTANDO O AGRO
1. A criação da pós-graduação em 1964
1.1. Um programa que nasce internacional
1.2. Os egressos da pós-graduação
2. O estratégico Departamento de Genética
3. O Centro de Energia Nuclear na Agricultura – 1966
4. A Fundação de Estudos Agrários “Luiz de Queiroz” – 1976
5. O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – 1982
6. Os relatórios anuais da Esalq: os financiadores das pesquisas
6.1. Departamento de Genética (1966-1980)
6.2. Departamento de Química (1966-1980)
6.3. Departamento de Física e Meteorologia (1966-1980)
6.4. Departamento de Ciências Sociais Aplicadas e Departamento de Economia e
Sociologia Rural (1966-1980)
6.5. Centro de Energia Nuclear na Agricultura (1966-1977)
6.6. Centro de Estudos do Solo e Departamento de Solos, Geologia e Fertilizantes (1969-1980)
6.7. Departamento de Matemática e Estatística (1969-1980)
6.8. Departamento de Fitopatologia (1974-1980)
6.9. Departamento de Agricultura e Horticultura (1974-1980)
6.10. Departamento de Silvicultura (1974-1980)
6.11. Departamento de Zoologia e Departamento Zootecnia (1974-1980)
6.12. Diretoria da Esalq-USP (1966-1980)
6.13. Conclusão dos relatórios de 1966 a 1980
7. A graduação: diversificação e reforma universitária

CAPÍTULO 7: DITADURA NA ESALQ: CENSURA, DELAÇÕES, PERSEGUIÇÕES E ASSASSINATO
1. A delação de professores e alunos de Piracicaba ao Dops
2. A incriminação doméstica: “quando o perigo morava ao lado”
3. A vigilância contra docentes e estudantes da pós-graduação
4. Pós-graduandos fichados e a perseguição contra a ciência
5. A censura prévia na Esalq-USP
6. Luiz Hirata: um esalquiano torturado e assassinado pela ditadura

CAPÍTULO 8: MOVIMENTO ESTUDANTIL: LUTA E RESISTÊNCIA
1. Anos de 1960: rebelião caipira contra o golpe civil-militar
2. Anos de 1970: repressão e resistência no interior
3. Anos de 1980: a UNE renasce em Piracicaba
3.1. O 32º Congresso da UNE e a falência do regime
3.2. Novamente em “Pira”: 1982 – o 34º Congresso da UNE sob vigilância reforçada

ALGUMAS CONCLUSÕES

POSFÁCIO
Frente de Defesa da Democracia Luiz Hirata

BIBLIOGRAFIA E FONTES PRIMÁRIAS

Informação adicional

Peso 0.250 kg
Dimensões 23 × 16 × 1 cm
Autor

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Apenas clientes logados que compraram este produto podem deixar uma avaliação.