76 de 135 produtos cadastrados na categoria

Próximo »  

Dimensões da psicopedagogia hoje: uma visão transdisciplinar

Dimensões da psicopedagogia hoje: uma visão transdisciplinar

Autor: Juan Miguel Batalloso


R$45,00







Nº da Edição: 1ª edição (2011)

Nº de Páginas: 362

Isbn: 978-85-7963-034-7



Disponibilidade: Em estoque


Dúvidas ?
 
 


Calcular frete:

Formas de pagamento:

 

R$45,00

Parcele em até 3x sem juros
1x de R$45,00
2x de R$22,50
3x de R$15,00


 

“…A finalidade maior da educação é promover o crescimento pessoal, individual e coletivo do ser aprendente, favorecer o desenvolvimento humano, colaborando para a evolução de sua consciência e de seu espírito, mediante a participação ativa, reflexiva, prazerosa e criativa em atividades educacionais de naturezas diferentes…” (Moraes, Maria Cândida, 2008:251). Isto nos indica que em todo processo educacional convergem, se relacionam e interagem, de forma interdependente, ao menos três tipos de processos. De um lado, processos de ensino-aprendizagem, de outro, processos de orientação-desenvolvimento e, integrados profundamente a ambos, processos vitais- espirituais, criativos e de construção de sentido. Estes três processos, simultâneos, integrados e contextualizados nas relações e interações ocorrentes no ciclo indivíduo/sociedade/natureza, são os que fazem da educação, não apenas uma necessidade vital a ser atendida e garantida pelos Direitos Humanos Universais, mas também um fenômeno biopsicosssocial, já que unicamente educando-nos permanentemente é que poderemos preservar a vida na Terra e assegurar nossa sobrevivência como espécie, desenvolvendo-nos plenamente como seres humanos.
A partir desta perspectiva, uma concepção ecossistêmica e transdisciplinar da Psicopedagogia e da Orientação Educacional necessariamente tem que ir muitíssimo mais além das visões míopes, unilaterais, estreitas, especializadas e clínicas que tem sido e segue sendo, em grande parte, as que predominam no cenário educacional da maioria dos sistemas escolares nacionais e internacionais. Necessitamos, portanto, de um novo olhar capaz de recuperar e reconstruir aqueles valores humanos e sociais que deram origem à Psicopedagogia, para que possamos situá-la novamente a partir de perspectivas mais coerentes às funções sociais de ajuda ao aluno que dela necessite e que, dadas às novas realidades sociais e culturais emergentes, exigem por parte dos profissionais da educação, funções mais globais e sistêmicas do que aquelas de natureza diagnóstica, técnica e terapêutica tradicionalmente trabalhada.
O trabalho em psicopedagogia exige, mais do que nunca, uma análise crítica de sua problemática, pois precisamos explicar as razões pelas quais, mesmo tendo alcançado, em nossos países, índices de atendimento educacional nunca antes imaginados, constatamos que ainda não se resolveram os velhos problemas educacionais relacionados à qualidade do ensino, à evasão e à repetência. Muito pelo contrário, esses estão aumentando e dando origem a outros novos, os quais não podem ser resolvidos apenas criando serviços especializados, mas buscando olhares mais sistêmicos, ecológicos, complexos e transdisciplinares, como também mais humanos e éticos.


Prefácio
1. Reflexões preliminares: ética, educação e psicopedagogia

1.1. Uma revolução ética
1.2. Visão ecossistêmica e transdisciplinar
1.3. Um novo paradigma educacional
2. Perguntas geradoras
2.1. Burocracias escolares e paradoxos educacionais
2.2. Novas necessidades educacionais
   2.2.1. Alunos ou pessoas?
   2.2.2. Sala de aula ou centro educacional?
   2.2.3. Conceitos ou atitudes?
   2.2.4. Consumir ou construir?
   2.2.5. Escolarizar ou Educar?
   2.2.6. Ensinar ou aprender?
   2.2.7. Qualificação ou avaliação?
   2.2.8. Dependência ou autonomia?
   2.2.9. Respostas ou perguntas?
   2.2.10. Razão ou sentimentos?
3. Um pouco de história
3.1. Antecedentes remotos
3.2. Antecedentes próximos
3.3. A atualidade
4. Especialização, psicopedagogia e orientação
4.1. Consequências (des)educacionais da especialização
4.2. Complexidade dos fenômenos educativos
4.3. Precisões terminológicas
5. Princípios da orientação psicopedagógica
5.1. Processo permanente
5.2. Processo ecossistêmico
5.3. Compreensividade-diversidade
5.4. Ajuda ao desenvolvimento
5.5. Prevenção
5.6. Antropológico
6. A função orientadora
6.1. Uma paisagem complexa
   6.1.1. Subemprego e precariedade
   6.1.2. Novas formas de dominação, submissão e violência
   6.1.3. Crise das relações sociais de vínculo e responsabilidade
   6.1.4. Novas formas de lazer alienante e destrutivo
   6.1.5. Dependência juvenil
   6.1.6. Psicopatologias sociais
   6.1.7. Diversidade cultural e imigração
   6.1.8. Formação profissional desumanizada
6.2. Novas realidades educacionais
6.3. Novas funções da orientação psicopedagógica
   6.3.1. Propostas gerais
   6.3.2. Agentes transformadores
   6.3.3. Mudando de paradigma: funções específicas
    6.3.3.1. Assessoramento e/ou consulta
    6.3.3.2. Coordenação
    6.3.3.3. Avaliação
    6.3.3.4. Formação
    6.3.3.5. Inovação
    6.3.3.6. Organização
    6.3.3.7. Dinamização e mudança
7. Dimensões da orientação psicopedagógica
7.1. Visão transdisciplinar e pensamento ecossistêmico
   7.1.1. Incerteza e unidade entre sujeito e objeto
   7.1.2. Totalidade
   7.1.3. Irreversibilidade e auto-organização
   7.1.4. Intersubjetividade
   7.1.5. Interatividade
   7.1.6. Transcendência e espiritualidade
7.2. Proposta de dimensões
7.3. A atenção à diversidade
   7.3.1. As necessidades educacionais especiais
   7.3.2. Algumas propostas de intervenção
   7.3.2.1. Centradas na sala de aula
   7.3.2.2. Medidas extraordinárias
8. Dimensão pessoal. O eu e a consciência – Aprender a ser
8.1. Aprender a ser pessoa
   8.1.1. Autoconhecimento
   8.1.2. Educação em valores
   8.1.3. Educação vocacional
   8.1.4. Aprender a tomar decisões
   8.1.5. Aprender a ser criativo
   8.1.6. Educação para a serenidade e a harmonia
8.2. Aprender a ser sensíveis e emocionalmente inteligentes
8.3. Aprender a ser feliz
   8.3.1. Idear, escolher, desenhar e realizar projetos
   8.3.2. Assumir, enfrentar e resolver problemas
   8.3.3. Trabalhar de forma persistente e sustentável
   8.3.4. Pensar positivamente
   8.3.5. Dar e receber afeto, carinho e amor
   8.3.6. Viver com desapego e autonomia
   8.3.7. Construir e dar sentido à nossa vida
8.4. Aprender a desenvolver nossa inteligência espiritual
9. Dimensão psicofísica. Corpo e conduta – Aprender a conhecer e aprender a fazer
9.1. Educação corporal e para a saúde
9.2. Educação da vontade
9.3. Processos de ensino-aprendizagem
   9.3.1. Com o professorado
   9.3.2. Com as famílias
   9.3.3. Com o alunado
10. Dimensão interpessoal. Cultura e sociedade – Aprender a conviver
10.1. Habilidades sociais
   10.1.1. Metodologias comportamentais
   10.1.2. Metodologias cognitivas
   10.1.3. Metodologias ecossistêmicas
10.2. Inteligência social
10.3. Educação para a paz
11. Dimensão ecosociopo lítica. Sistema social e meio ambiente – Aprender a se comprometer
11.1. Educar para a democracia
   11.1.1. Diálogo
   11.1.2. Reflexão crítica
   11.1.3. Participação
   11.1.4. Desenvolvimento comunitário
11.2. Educar para a cidadania planetária
11.3. Educar para a igualdade, o cuidado e a ternura
12. Começando a trabalhar
12.1. Metas desejáveis
   12.1.1. Desconcentração e educação ambiental
   12.1.2. Combinação de trabalho manual, trabalho intelectual e trabalho social
   12.1.3. Diversidade, personalização, globalização e transdisciplinaridade
   12.1.4. Autonomia, flexibilidade curricular e culturas profissionais de colaboração
   12.1.5. Avaliação democrática e reflexão sobre a prática
   12.1.6. Adequação entre espaços, tempos, necessidades e recursos
   12.1.7. Democracia e cidadania
   12.1.8. Convivência, harmonia e paz
   12.1.9. Orientação como ajuda e disponibilidade permanentes
12.2. Dificuldades e possibilidades
12.3. Palavras finais
Referências bibliográficas


Juan Migual Batalloso (1952), Camas/Sevilha (Espanha), é doutor em ciências da educação, pela Universidade de Sevilha (Espanha). Durante sua larga trajetória profissional, além de outras atividades de caráter social e cultural desenvolvidas em sua cidade, foi professor de educação fundamental, orientador psicopedagógico, diretor de escolas e chefe do Departamento de Educação dos Institutos de Educação Secundária da Espanha.
Participou de diversas publicações e organizou várias obras, tendo ministrado vários cursos e conferências sobre função tutorial, avaliação educacional, educação em valores e compreensão leitora.


Editora Liber Livro

Autor: Juan Miguel Batalloso

ISBN: 978-85-7963-034-7

Edição: 1ª edição (2011)

Número de páginas: 362

Formato: 15x22 cm

Peso: 0,450g

Opiniões do cliente

Nenhuma avaliação no momento.

 
   

Desenvolvido por Lógica Digital Lógica Digital